Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá.

Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize. [João 14:27]

O problema com a paz que o mundo dá
É que ela não tem consistência
É uma paz, por assim dizer
Construída sobre a areia
Uma paz sem garantia
Contra tempestades
Uma paz que perder a validade - e a vitalidade
Quando a terra das nossas esperanças
Vacila, treme e o vento sopra com força
E o mar da vida, sem avisar, se ergue violentamente
Fazendo naufragar o frágil barquinho de todos os nossos sonhos


Num mundo onde tempestades sempre acontecem
Depositar a nossa esperança na incerta paz do mundo
Onde nada é garantindo, onde tudo muda num instante
E nem sempre para melhor... É só olhar ao redor
É o mesmo que iniciar-se na arte de andar na corda bamba


De nada nos vale uma paz de faz de conta
Queremos mais do que aparências de paz
Necessitamos de uma paz que triunfe contra a dor
Necessitamos de uma paz que preencha todos os vazios da alma
Necessitamos de uma paz que triunfe até mesmo contra a morte
Porquanto, o tempo todo, todo dia, estamos rodeados pela morte


Portanto, se desejamos manter a sanidade no meio da loucura
Se desejamos manter a luz no meio da escuridão
Se desejamos conservar a alma
No meio de uma fria selva de pedra
Precisamos de uma paz que nos dê garantias
Precisamos de uma paz mais robusta do que a paz do mundo
Precisamos de uma paz que nos conserve o espírito sereno
Mesmo no meio das piores dores e tempestades da vida
Precisamos de uma paz que nos dê força para vivermos o agora
E esperança para lutamos por um amanhã melhor
Sim, precisamos de uma paz que nos mostre a saída do beco sem saída


Essa paz que vem do céu e permanece de pé
Mesmo quando tudo desmorona
Ou ameaça desmoronar
Essa paz que conserva o bom ânimo
Diante das incertezas e aflições da vida
Essa paz que misteriosamente nos conserva
Vivos e esperançosos diante da face da morte
Essa paz que não se alcança pelas obras
Essa paz que se alcança tão somente pela fé
Eu tenho encontrado, dia após dia, em Cristo Jesus
Tirem-me Jesus... E só me sobra o desespero, a morte e a escuridão


O Caminho dessa paz - assim mesmo, com “C” maiúsculo
Nós não aprendemos andando nos caminhos do mundo
O mundo nada sabe - ou nada quer saber - dessa paz
Que excede a sua capacidade de compreensão
Porque é uma paz que vem de dentro
Onde não basta ter olhos para ver e ouvidos para ouvir
Não do nosso coração, porque o coração é enganoso
E é tão imprudente confiar nele como confiar no mundo
Mas uma paz - sem igual - que vem do Espírito de Deus
Que habita em nós e nos vivifica contra o desespero da morte
E nos ilumina contra as trevas e dá sabor às nossas palavras
E renova a nossa mente no meio dos desvios e blasfêmias do mundo


Essa paz acontece, quando, pela graça de Deus
Ouvimos com fé e acolhemos no coração
Doce e sublime chamado de Jesus
Essa paz - que excede todo entendimento humano
Acontece quando abrimos a Jesus 
A porta do nosso coração e o deixamos entrar
Cear, morar, viver e habitar com nós
Sim, essa paz acontece, quando - e tão somente
Depositamos aos seus pés
As nossas sobrecargas e fardos existenciais
E aprendemos com ele - que é o próprio Caminho
O caminho estreito, porém, seguro
Que nos conduz a uma vida de paz
Que é, no fim das contas
O que tanto precisamos
Queremos, ansiamos e desejamos
Para levarmos adiante, sem medo
A nossa dura missão de viver num mundo 
Que - todo dia, em todo lugar - transpira e ressoa
Vozes de guerra e gritos de dor, incerteza e morte...
_VBMello

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A luta minha de cada dia

Não existe razão para ter medo...

Mas se não tiver amor, nada serei...

Francamente, esse Jesus é um estraga-prazeres!

Vida de comunhão com Deus

Bem-aventurados os humildes