Notas sobre o amor

Tudo – a nossa alegria
A nossa paz interior
A nossa motivação
A nossa inspiração
O nosso sucesso na vida
A nossa saúde mental
A nossa vida espiritual
A nossa capacidade de sonhar
E a nossa capacidade de realizar
Depende da maneira como amamos
E somos amados...


Formas equivocadas de amar
Destroem a alma e humilham o corpo


Todas as formas de dizer eu te amo
São eclipsadas pela mentira


Todas as formas de amor
São enriquecidas pela verdade


Amor é aquilo
Que se expressa
Através a verdade


O amor se alegra
Com a verdade


Os casais que continuam juntos
Felizes, intensos e produtivos
São os que se olham nos olhos
E se tratam com amor e verdade


A verdade é a única prova de amor
Que une as pessoas para sempre


Toda forma de amor
Se desintegra
E se perde
Onde a verdade
Não permanece no centro


Casais que ficam aquém da verdade
Infligem sofrimentos a si mesmos
Magoados, insatisfeitos
E cheios de rancor mútuo
Caminham - inexoravelmente
Para um ponto sem retorno


Alguns tentam remediar a situação em público
Conversam, tiram fotos e saem para jantar fora


Na frente das pessoas
São educados e cheios
De boas maneiras
Um espetáculo de amor
Para os olhos dos outros


Mas na intimidade, entre quatro paredes
Onde ninguém vê ou sabe de coisa alguma
Compartilham solidões e silêncios profundos


A distância aumenta entre eles
E eles se sentem prisioneiros
De um crescente e aniquilante
Sentimento de desamparo


Tudo cessa – as palavras, os olhares, e a presença
Até que já não se faz conta de mais nada
Nem das palavras, nem dos olhares
Nem dos antigos carinhos, nem da presença
Então, tudo desaba num profundo abismo
De arrependimento e vontade de sumir


É que o amor, se verdadeiro, exige mais
Do que simples máscaras de boas maneiras


O amor exige verdade e sinceridade
Exige o corpo e exige também a alma
Exige olhares apaixonados e belas palavras
Mas não apenas belas palavras
O amor exige confiança e segurança


O amor exige sinceridade
O amor não prospera
Onde habita a hipocrisia


As pessoas que amam e são amadas
São as que se sente mais vivas e felizes


O amor - verdadeiro e sincero
É o elemento crucial, em torno do qual
A vida inteira - coração, alma e pensamento
Se move, existe, e se constrói


Se ao invés de amor verdadeiro
O coração encontra hipocrisia
Então – sem chão – a vida a dois
Desanda e entra em colapso


Amor que gera medo e ansiedade
Amor que só pensa em si
Amor que não motiva confiança
Amor que prende, ameaça e bate
Não é amor... É só qualquer coisa ruim
Que dissolve juramentos, derruba pontes
Alimenta desilusões, provoca decepções
Reabre feridas antigas, cria distâncias
E separa corpos, corações e almas


O amor inspira a vida
E a faz crescer e florescer


Muitas vezes, para curar uma depressão
Melhorar consideravelmente a autoestima
E dar um imenso salto qualitativo na vida
Basta sair de perto de quem não sabe amar


Conversar, dormir na mesma cama
Viver na mesma casa e dividir a vida
Sonhando e fazendo planos para o futuro
É muito bom, mas tudo isso, e muito mais
Perde a importância diante da ausência da única coisa
Realmente importante para corações apaixonados
A coragem de se tratarem com sinceridade e verdade


Quando as pessoas não se sentem amadas de verdade
Tudo – o coração, a alma, os pensamentos e o corpo, a vida inteira
Entra em estado de angústia, dor, ansiedade e espera
E a pessoa – sentindo-se solitária, desprezada, inútil e vazia
Vive como se estivesse travada, com a respiração presa
Sufocada e com as mãos amarradas - sozinha
Morrendo afogada - sem ter quem a socorra...


Em qualquer situação, lugar ou posição
Por mais que um se esfregue um no outro
E chamem isso de amor
Quando a verdade permanece
Sempre ausente do dia a dia
O coração percebe, sofre e se afasta
O corpo trava e deixa de se comunicar


Usada, abusada e coisificada
A pessoa se sente insegura
Na presença da outra
E vai se afastando cada vez mais
Silenciado suas decepções
Engolindo o choro
Morrendo por dentro...


Até que tudo vira pretexto
Para não se falarem mais
Porque amor, se verdadeiro
É mais – muito mais, infinitamente mais
Do que se esfregar um no outro
É mais do que usar e coisificar as pessoas


Com olhar vago e triste
A pessoa se olha no espelho
E mesmo acompanhada
Sente-se absurdamente sozinha
Na alma, apesar das aparências
Desespera-se e se exaspera
Ninguém precisa lhe dize
Ela sabe que a sua vida
Não está dando certo


Em nome do amor
Que nunca a tratou
Com amor e respeito
Foi humilhada
E roubada em tudo
Até na força
Para chutar o balde
E recomeçar
Não seria humana
Se não quisesse sumir


No corpo e no coração, desespera-se sonhando
Com alguém que a ame e a queira de verdade
Alguém com quem possa construir
Uma história transparente e sem máculas
Alguém para ajudar esquecer as decepções do passado


Com efeito, nada vale a pena onde as pessoas – no coração
Passam a vida, mentindo, traindo e enganando-se mutuamente
Em nome de um amor que não existe, nem nunca existiu...


Na arte de amar, não basta parecer que ama
É preciso amar de verdade, com todo coração
E tem que dizer que ama. Sim, tem que dizer que ama...


Bonito, saudável e invejável
É o casal – em qualquer idade
E em qualquer circunstância
Na riqueza e na pobreza
Na saúde e na doença
Que tem coragem
De se olhar nos olhos
E dizer: Eu te amo


Há muitas maneiras de dizer que ama
Sim, mas a mais profunda de todas
A que confirma todas as outras
É aquela que abraça, olha nos olhos
E diz sem medo algum: Eu te amo


Essa é a declaração essencial de amor
Que cura a alma e restabelece as forças
As outras formas, sem a confirmação dessa
São meros paliativos do desastre


Sim, há muitas maneiras de dizer que ama
Mas olhar nos olhos e dizer eu te amo
É a maneira natural dos casais apaixonados


Onde as pessoas evitam se olharem nos olhos
E não possuem coragem de se falarem livremente
De coração para coração, de alma para alma
As palavras são secas, estéreis, frias e desconfiadas
Os ouvidos escutam, mas o coração permanece distante


Não há abraços nem vida – nem intimidade
Onde o coração sente repulsa diante do outro
Que lhe fala com dissimulação, cinismo e mentiras


A pessoa mentirosa
Pode prosperar
Em qualquer coisa
Menos na arte de amar.
A prosperidade no amor
Não é para mentirosos


A primeira regra para a longevidade
De qualquer relacionamento
É vencer o medo da verdade


Quem não ama a verdade
Não ama ninguém
Amar o outro
É decidir pela verdade
Como regra de ação


Na vida, quando falta amor e verdade
Não sobra muita coisa


Onde falta amor e sinceridade
Tudo é resto


O amor não se satisfaz com sobras
O amor vive de plenitude
O amor exige exclusividade
É tudo ou nada... Amar 
É entregar-se por completo


Toda ideia de amor
Que não considera
A eternidade do amor
Não é ideia de amor
É só qualquer coisa


Finalmente, amar é compreender que a outra pessoa - que também nos ama -, é um ser humano como nós, incompleto e cheio de fragilidades, medos, ansiedades, sonhos e esperanças...


Amar não é fazer da outra pessoa uma imagem projetada dos nossos desejos, taras, anseios e perversões. Amar não é usar. Amar não é abusar.


Amar é ouvir e conviver com a pessoa amada, respeitando a sua individualidade, anseios, medos, sonhos e desejos, e ir se tornando um com ela, sem forçar a barra, criando raízes um no outro, espontaneamente, somando forças e lapidando imperfeições...
_VBMello 
- - - - - - -
RECEBA AS NOSSAS ATUALIZAÇÕES - ENTRE COM SEU EMAIL:


Delivered by FeedBurner

Postagens mais visitadas deste blog

A luta nossa de cada dia...

Não existe razão para ter medo...

Notas sobre fé e sofrimento...