Bem-aventurados os que choram













A fé em Jesus nos coloca acima da nossa dor e descortina diante do nosso coração, a nossa realidade eterna. Não há consolação maior do que crer e ter a firme convicção de que os sofrimentos do presente não podem se comparados com a glória que em nós será revelada. 


A fé na soberania de Deus, nos fornece os meios - não para o escape -, mas para suportar com bom ânimo, todas as aflições deste mundo. Não nos tira do mundo, porque nos tirar do mundo, disse Jesus, nunca foi a vontade de Deus. Jesus não viveu retirado do mundo. Falsa é a fé que promete escapismos. Falso é o pregador que aponta um atalho de fuga para longe das aflições do mundo. A verdadeira fé produz bom ânimo, não fuga. Deus não nos deu espírito de covardia, mas de luta. Ela, a fé, se verdadeira, não nos introduz no mundo dos escapismos baratos da teologia da prosperidade, nem nos enreda nas ilusões corriqueiras de uma confissão positiva e triunfalista, como se vê muito, hoje em dia, para vergonha do verdadeiro evangelho, em cada esquina. 


Ela, quando verdadeira, nos mantém com os pés firmes e fincados na realidade. Não diz que treva é luz. Não diz que a mentira é verdade. Diz a verdade sempre e nunca promete o que Deus não prometeu. Não ilude, não engana, não faz barganhas. Não pede nada em troca, além da fé, pois tudo é graça. Não promete milagres onde a graça de Deus é mais do que suficiente. 


O seu compromisso é com o pão nosso de cada dia, e não com carros, joias e riquezas. Ela não promete secar as nossas lágrimas, mas dá um sentido para elas. Mostra que não choramos em vão. E diz que bem-aventurados são também os que choram, tanto quanto os que sorriem. 


Portanto, meu irmão, não se desespere, nem se deixe enredar por ilusões, pois maior do que o golpe do sofrimento, é o conforto da fé que diz que não existe sofrimento que dure para sempre... Façamos da convicção de Paulo, a nossa própria convicção, quando ele disse: Estou absolutamente convencido de que os nossos sofrimentos do presente não podem ser comparados com a glória que em nós será revelada. É isso.
_VBMello