23 de abril de 2017

A Soberania de Deus









A centralidade da minha fé é certeza da soberania de Deus. Não duvido do poder de Deus. Não desconfio da sua onisciência. Não me abro ao teísmo aberto. Não há razão alguma para se crer num Deus impotente ou mais ou menos onisciente. Deus é completamente onipotente, onisciente e onipresente, ou não é Deus.


Creio num Deus soberano, e essa é a razão da minha fé. Creio num Deus que é Deus. Creio num Deus - inigualável em sabedoria - que tem todo poder no céu e na terra. Creio no Deus revelado na Escritura, que aniquila a vaidade dos príncipes e reduz a nada os juizes corruptos da terra. Creio no Deus que fortalece ao cansado e dá vigor ao que está sem forças. Creio no Deus que diz: Eu sou Deus, e não há nenhum outro; eu sou Deus, e não há nenhum como eu.


Não me iludo comigo mesmo. Reconheço as limitações da minha vontade, mente e coração, e busco socorro em Deus. Abraço a sua sabedoria, oculto-me no manto do seu poder e vivo animado pelo seu amor. Dependo de Deus para tudo. Sem a graça de Deus – miserável homem que sou! - eu nada posso fazer. Sim, nele eu vivo, existo, me movo, respiro e me inspiro.


Um Deus mais ou menos, coisa estranha, não seria capaz de satisfazer as necessidades e fomes da minha alma. Um Deus mais ou menos, quando muito, é risível, pois não é Deus. É só qualquer coisa inventada por homens com coceira nos ouvidos... Gente que – no dizer de Paulo a Timóteo - gosta de amontoar para si doutores conforme as suas próprias concupiscências...
_VBMello