18 de setembro de 2016

Do pó da terra - alma vivente...

















Nem estrelas 
Nem poeira 
Das estrelas
Somos barro 


Do pó da terra 
Com as suas mãos
Ele nos fez 
E soprou em nós
O seu fôlego de vida


Ao entardecer do dia
Com um sussurro
Ele nos chamou à vida
Nos transformou
Em alma vivente
E nos soltou no mundo


Como quem deseja ir além
Crescemos e nos perdemos
E ficamos muito aquém 
Do destino sonhado


Como crianças assustadas
Vencidos e desorientados
Tropeçando, corremos de volta 
Para a segurança dos seus braços
E nos aninhamos sob as suas asas
Protegidos como a menina dos seus olhos


Não temos lugar certo no mundo
Ele é o nosso mundo. Ele é o nosso lugar
Nele vivemos, nos movemos e existimos

Ele é a nossa esperança e o nosso amanhã...
_VBMello