15 de setembro de 2016

Dias de deserto, dias de crescimento...











O lugar onde a alma
Cresce e floresce
É o deserto e o silêncio
A contemplação, a oração
O jejum e a reflexão
A entrega total a Deus
*
A alma tem necessidade
De estar face a face
Com o seu Deus
Ela necessita desse tempo
De solidão, provação
Oração e transcendência
Porque chega uma hora
Que a gente cansa
De saber de Deus
Só de ouvir falar
E sente necessidade
De experimentar a verdade
Por conta própria, na própria alma
E mais ainda, na própria pele
*
Frequentar cultos é bom
Pois não é próprio
Daquele que crê
Deixar de congregar
Mas não basta
A alma tem fomes
Que só morrem
Quando a gente, além dos cultos
Frequenta Deus, num culto só nosso
*
Sim, é preciso frequentar Deus
E ficar a sós com ele
Por um longo tempo
Embriagar-se com o seu Espírito
Fartar-se com a sua Palavra
Criar a consciência de sua presença
Aprender a ouvi-lo
E deixar-se encontrar
E ser transformado pela graça
Da sua presença e palavra
*
Não basta saber que Deus existe
É preciso ter comunhão pessoal com ele
Uma comunhão simples de amizade
Temor, graça e obediência
Porque não basta chamá-lo de Senhor
É preciso conhecê-lo e obedecê-lo
*
Se você gasta mais tempo com filmes, novelas
Ou poesia, filosofia, literatura, política ou futebol
Então, tudo bem, você vai ficar fera nessas coisas
Mas nas coisas de Deus você vai ficar só mais ou menos
Mas chega uma hora que a gente cansa de ser mais ou menos
Cansa de ouvir testemunhos e ler biografias de heróis da fé
Cansa de ler frases de autoajuda e repetir palavras dos outros
É começa a ansiar por um mergulho profundo, abissal mesmo
E desenvolver diante do Espírito de Deus, uma linguagem própria
Então é preciso ir para o deserto e ficar sozinho com Deus
Apoiando-se unicamente no evangelho, na oração e na fé
*
Se você não passa muito tempo
Sozinho em oração diante de Deus
Então, esteja certo de uma coisa
Não importa quantos tempo passe
Não importa o quanto você sofra
Você nunca amadurecerá espiritualmente
*
Não se trata de fanatismo ou alienação
Fanatismo e alienação – são pecados terríveis
Cristo não era nem fanático, nem alienado
Trata-se de criar raízes fundas e firmes
E tomar verdadeira consciência
Da própria condição de pecador
E da graça da salvação de Cristo
Trata-se de se prostrar diante de Deus
Reconhecer a própria insuficiência e pecado
E receber dele, perdão, vida nova e espirito renovado...

_VBMello