7 de abril de 2017

Angústia























O caminho da felicidade
Está no coração da pessoa
Pulsando e chamando sem cessar


A pessoa sabe o que precisa fazer
Sente a insistência do chamado
E sabe que está diante da graça de Deus
Mas porque tudo na vida tem um preço
E nas coisas do coração, não existe ganho sem perda
A pessoa vai dizendo não ao seu chamado
E continua andando na contramão do seu caminho


Segue incerta pela estrada de outra pessoa
Imitando outras vidas
Ao invés de viver por si
Buscando em outros caminhos
A felicidade que só quem caminha
No seu próprio caminho
Pode encontrar e desfrutar plenamente


Depois de um tempo – que pode durar décadas
A pessoa encontra-se acabada, cética e decepcionada
Do ponto de vista dos arranjos e considerações do mundo
Não se pode dizer que fracassou (completamente) na vida
Afinal, construiu um patrimônio e criou um nome...
Mas apesar da aparência de uma vida bem-sucedida
A alma - sempre a alma - permanece cansada e oprimida


Às vezes, num sonho, ou num ato falho
Ou mesmo num insight inesperado
Na frente do espelho
A antiga verdade do coração
Mesmo acorrentada sob o peso
Dos arranjos do mundo exterior
Sobe até a superfície da sua vida
E deixa um rastro denunciador
De angústia, vazio e desespero
Deixando-a permanentemente cativa
De uma ansiedade que não consegue explicar
E ela vive como se precisasse dizer alguma coisa
Tateando aqui e ali, sem jamais encontrar
As palavras certas para dizer o que quer
Alguma coisa essencial dentro dela, ela sabe... está morta
E a sua dor interior é muito, muito profunda
Às vezes, apesar de tudo que conseguiu
Ou por causa dos casamentos fracassados
Dos filhos ingratos e de uma tristeza generalizada
Sente que a vida não valeu a pena e se pergunta: É só isso?
Quando dorme, mesmo ao lado de alguém, sempre só
Desejaria fechar os olhos e nunca mais acordar


Do ponto de vista do mundo
Não possui culpa alguma
Foi fiel a todos os seus arranjos
Não traiu, nem enganou ninguém
É uma boa pessoa, todos dizem
Todavia, apesar dos elogios e aplausos
Na angústia das noites insones
A sua alma cobra dela o preço
De uma traição terrível
Enterrou o seu talento
E disse não ao seu destino
Não vive exatamente a sua vida verdadeira
Representa um papel que o mundo lhe deu
E não importa o que faça ou conquiste
Pesa sobre os seus ombros cansados
A angústia insuportável e desgastante 
De um sentimento de dor e incompletude
Sob a aparência maquiada da sua pele
Que é tudo que as pessoas enxergam
Desejam, invejam, tocam e querem
A sua alma transita solitária e perdida 
Num labirinto de espaços escuros e vazios 


Não é impunemente - nunca foi - que se diz não
Ao chamado de uma vida única e criativa
Ser como todo mundo... Isto é, entrar na manada 
E seguir inconsciente na mesma direção
Só é possível a preço de alma
Um preço que ninguém 
Nem o mais rico dos homens
Encontra-se preparado para pagar
A vida, se pura, sincera e verdadeira
Para ser única, plena e criativa
Exige renúncia, coragem, humildade e fé 
Para seguir um destino maior
Que no fundo do seu coração
A pessoa sabe que nasceu para seguir


A pessoa que nega o seu chamado maior
Tarde demais compreende - não sem arrependimento
Que a voz que vale a pena ouvir e seguir
É a que pulsa dentro do próprio coração
Como chamado de Deus para a sua vida
E que fugas e arranjos externos
Mesmo depois de uma vida inteira
Não invalidam o direito e a primazia do coração


E que apesar de viver uma vida inteira
Trabalhando, sendo justa e se esforçando
Jamais pode encontrar a felicidade desejada
E se for honesta consigo mesma – se for
Dirá que tudo que faz é para pagar o preço
De ter dito não ao seu chamado existencial
Que por nunca ter podido sufocá-lo completamente
Agora - arrependida - periga de terminar a vida
Sufocada pelo esforço ingênuo de passar a vida
Tentando sufocar o seu verdadeiro caminho e destino...
_VBMello