16 de fevereiro de 2017

Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração...

Ao cair da noite, diante de Deus
Longe das acusações dos homens
Examino o meu coração
O Espírito sonda a minha alma
A minha alma estremece
E as minhas pernas vacilam
Não tenho do que me vangloriar
Não tenho o que dizer a meu favor
Este é só mais um dia
Em que eu fiquei tão longe
De ser o que deveria ser


Não tenho bravatas espirituais
Para contar ou testemunhar
O meu testemunho
Testemunha contra mim
A minha história é a história
Das minhas quedas e tentativas
Então eu penso: O que seria de mim
Se não fosse a graça de Deus?


Queria ser forte, mas eu sou fraco
Mas isso não é desculpa
Perdoem-me, se soa como tal
A verdade não me é estranha
E a minha mente não desconhece 
O caminho da paz e da justiça


Mas o bem que eu quero fazer - esse eu não faço
E o mal que eu não quero fazer - esse eu faço
E, às vezes, isso é tão sutil, que engana
Até o meu coração, levando-me a jurar
Que sou um homem bom e justo
Mas Deus não se engana com
As sutilezas do meu coração
Sou indesculpável perante Deus
Servo inútil, eis o que sou


Mas o senhor cuida de mim
Porque ele é bom e misericordioso
O pecado me engana e me mata
Mas o Senhor me vivifica e me santifica
Pela graça, por meio da fé
Eu sou salvo, isso não vem de mim
É um maravilhoso dom de Deus


Ele me toma pela mão e me guia
Por caminhos que eu desconheço
Ele coloca as sementes das suas palavras
Nas profundezas do meu coração
E o meu espírito floresce e se ilumina
Ele me chama de filho
E as lágrimas inundam a minha face


Sou filho pródigo, e ele festeja o meu retorno
Ele livra a minha alma da escuridão
Ele tira o peso do mundo dos meus ombros
Ele renova as minhas forças
Ele me veste de justiça e paz
Ele me dá sonhos e esperanças novas
E quando eu desfaleço e quero desistir
Ele vem com braço forte e me coloca de pé


Da terra seca do meu coração
Ele faz um jardim valioso
No deserto, quando estou perdido
Ele me procura, me encontra
E refrigera a minha alma
Faz chover sobre a secura do meu coração
E renova alegria do meu espírito
E o bom ânimo volta à minha alma
Então, pensamentos e palavras de gratidão
Fluem das profundezas do meu coração
E transbordam dos meus lábios
Sim, como criança que corre e brinca na chuva
Os meus lábios retinem cantos de júbilo e alegria


Eu era cego e surdo
E agora – milagre!
Eu vejo e escuto
Estava morto
Mas agora
Eis que estou vivo


Na presença do Deus que tudo vê
Aprendi a ver o mundo com outros olhos
Aprendi o caminho da vida simples
E descobri que é melhor dar do que receber
Ele retirou a ansiedade do meu coração
E me deu a sua paz verdadeira 


Todo dia, do nascer ao pôr do sol
O Espírito de Deus, sem falta
Renova as minhas forças
Então, sem medo, eu posso lidar
Com as minhas fraquezas todas


Dia após dia, na tristeza e na alegria
Como um escultor cuidadoso
Ele esculpe na pedreira do meu coração
Um caminho de graça, paz e eternidade


Ele estende a sua mão e me toca
E de graça em graça
Eu sou transformado
Em nova criatura


Diante da pureza da sua luz
A escuridão se aparta do coração
E vangloria se afasta dos meus lábios
Ele me mostra astúcia do meu pecado
E ensina-me a não me iludir comigo mesmo
Pois o meu coração é enganoso e vaidoso
Ele me salva dos vazios da minha alma
E me livra das vaidades secretasd do meu íntimo
Elogios não me arrebatam, lisonjas não me fascinam
Ele firmou os meus pés no chão da realidade


Assim, tendo o Espírito como guia seguro
Ao cair da noite, examino a mim mesmo
E a minha alma estremece
Porque eu sei que a humildade
A fome e a sede de justiça
Um coração misericordioso e puro
Uma consciência grata e pacífica
Uma alma sensível e criativa
Sem ostentação e bravatas espirituais
São aspectos fundamentais da fé
Que dizemos ter em Deus


E que, em verdade
Sem o cultivo duradouro
Desses atributos básicos da vida de fé
Eu, toda vez que chamo 
A mim mesmo de cristão
Minto e não faço outra coisa
Senão cultivar vaidades e iludir
O meu próprio coração e alma
Com mentiras e mais justiça própria


Por isso, porque a minha vida toda
Está patente diante dos olhos de Deus
Eu me calo e me recolho em oração
Pois sou pecador e carente da graça de Deus


Mas o Senhor é bom e misericordioso
E não me trata segundo os meus muitos pecados
É a minha sorte... Sim, é a minha sorte
Não fosse as suas muitas misericórdias
Eu já teria sido consumido há muito tempo


Então, ao cair da noite, perdoado dos meus pecados
Os meus olhos fitam o brilho das estrelas do céu
E o meu espirito se alegra e exulta no perdão do Senhor...
_VBMello

- - -
Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração: prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno. (Salmo 139: 23,24)