17 de fevereiro de 2017

Príncipe da paz...









Com seu jeito simples e franco
Jesus atrai a si todo tipo de gente sofrida
E ele leva em conta os sofrimentos das pessoas
E não despreza as suas dores, dúvidas ou medos
Não julga, não afasta, nem condena ninguém
Com uma mansidão e uma humildade sem igual
A todos, cansados e sobrecarregados
Ele chama a si e oferece alívio e paz

Aqueles que o acompanham de perto
Sabem, isso é visível no jeito dele
Que ele não é mais um demagogo
Um taumaturgo, falso profeta
Ou algum paranormal
Movido por cobiça e vaidade
Lobo sanguinário disfarçado de ovelha
Mercenário travestido de pastor
Serpente traiçoeira e venenosa
Clássico mau-caráter ordinário
Que ostenta o tradicional sorriso superficial
Estampado no meio da cara lavada
E que corre a terra e os mares
Manipulando mentes
Enganando corações
Fazendo falsas promessas
E propondo barganhas
E sacrifícios de hipocrisia e mentira
Tudo em nome da causa dos maiores de todos os males
A cobiça, a vaidade e amor descontrolado ao dinheiro

Não, quem é tocado pelo seu testemunho
Sabe que não está diante de mais um
Pregador de pensamento positivo
Que em troca de alguns trocados
Anuncia ao mundo confuso
Um otimismo vazio e superficial

Com efeito, quem escuta Jesus de perto
Não o confunde com um falso profeta
Sabe que ele não é um pastor qualquer
Sente e compreende que está diante
Daquele que vem em nome de Deus
E não ignora que está diante do Filho de Deus
E não se afasta mais de perto dele
Pois só ele tem palavras de vida eterna

Sim, quem o encontra – ou é encontrado por ele
Sabe que encontrou o Messias de Deus
Porque Jesus não vem até nós
Anunciando mais uma ideia sobre de Deus
Nem especulando algum tipo de teologia
Numa súmula infinita de teologia e filosofia

Ele não inventa caricaturas de Deus
Ele anuncia o único Deus vivo
Com a autoridade singular
De quem conhece
Face a face
O próprio Deus e Pai Criador

Ele não ameaça com o fogo do inferno
Ele não trata os fracos com desprezo
Ele acalma a tempestade das almas
E faz correr rios de esperança
No deserto seco dos corações

Diante de Jesus, as pessoas
Acostumadas com o sofrimento
Profundamente feridas de alma
E desanimadas de espírito
Renascem para uma nova vida

Sim, todos dizem, todos sabem
Nunca se viu coisa assim no mundo
Por toda parte, até os confins do mundo
Corações cativos pelas trevas
São postos em liberdade

Uma grande onda de luz, verdade, justiça e paz
Varre a terra e vai até os confins do mundo
Anunciando liberdade e vida eterna

Do nascer ao pôr do sol, dia e noite, sem cessar
A sua imensa compaixão paira igualmente
Sobre todos, ricos e pobres, homens e mulheres
Ninguém fica fora do abraço do seu amor

Por onde ele passa
Ele acolhe a todos
Sem acepção de pessoas
Chama para si
Aqueles que os fariseus
Nem se dão ao trabalho
De olhar, tocar ou ouvir
E escreve os seus nomes
No livro da vida...
_VBMello